19/02/2010

RESENHA DO SHOW DO METALLICA EM SP 30/01




A IDA:

Fomos em 3 pessoas:  eu, Michele ( minha amiga há 300 anos ) e Mari, todas fanáticas pelo Metallica, mas só a Mi é realmente DOENTE por eles.
Acordamos bem cedo e nos encontramos na casa da Michele umas 08:00 hrs.
O pai da Mi nos levou de carro até SP, ele iria ficar na casa da irmã enquanto estivéssemos no show, junto foram a mãe e o filhinho dela.
O show e os caras foram o assunto da viagem inteira: o carro da Volvo que eles haviam pedido para se locomoverem na cidade, o que eles haviam pedido para comer nos bastidores ( banana, manga, granola e MUITA cerveja, claro...), qual seria o set-list, se o James apareceria no palco com a banda de abertura,  etc... Embora eu estivesse calma por fora, por dentro estava vibrando! Nunca estivemos em um show grande de estádio com banda gringa, ainda mais do Metallica!!! Só a Mari conseguiu dormir na ida....
Chegando em Sampa a expectativa aumenta! Nada na cidade indicava que ali haveria um dos grandes shows da minha vida. Aliás, foi com tristeza que notei que algumas áreas da cidade são muito sujas, não vi nenhuma lata de lixo municipal durante todo o trajeto, não me admira que tenham enchentes mesmo... e os caras do Metallica vendo tudo aquilo, será que estranharam? Enfim, chegamos na casa da tia da minha amiga, cumprimentamos todos, brinquei com a cachorrinha mais gorda do mundo, falei parabéns para a prima dela que estava grávida de 10 dias e após o almoço ( muito bom por sinal, dona Olga cozinha que é uma beleza)  nos dirigimos para o Estádio!!! Aí a agitação começou de verdade....



A ORGANIZAÇÂO:

Pegamos muito trânsito até chegarmos no Morumbi, mas isso era esperado. Eram 13:00 hrs quando “desembarcamos”....
Ficamos um pouco perdidas por causa do tamanho do estádio, mas todo mundo soube nos dar informações e descobrimos que precisávamos retirar nossos ingressos reservados na bilheteria da Tickmaster, perto do portão 15. Depois disso foi meio muvuca...
Um monte de metaleiros se aglomeravam em frente a um portãozinho de aço, sendo barrados por um segurança, que só abria o portão o suficiente para deixar sair quem já havia retirado o ingresso. É que lá dentro tinha outra fila para as bilheterias. Sacaram? UMA fila para entrar em OUTRA fila! Adoro a Tickmaster ¬¬
Mas ouvi muita gente dizer que ali estava bem melhor organizado do que o show em Porto Alegre.... Depois de umas 2 horas a gente estava com o ingresso na mão.
Demos uma puuuuuuutaaaaa volta no Estádio até chegarmos no fim da fila pra entrada das arquibancadas, nem sei em que bairro paramos... Torrando no sol, bebendo que nem loucas, sentindo cheiro de urina, baseado e pagando R$ 2,00 para usar o banheiro alugado da casa de um cara. Eram 16:00 hrs, a fila começava a andar....
Depois de uma revista mal-feita pra caramba , a gente correu pegar os melhores lugares na arquibancada vermelha, especial, perto da grade. Ia demorar pra encher o Morumbi então gastei uma fortuna bebendo cerveja a R$ 6,00 o COPO! Pelo menos não choveu...



O SHOW DE ABERTURA!

Após muito gritos de "Ei, Pista! Vai tomoar no c...!" que a gente gritava pra galera de baixo e " Ão, ão, ão, assiste do telão" que eles gritavam pra galera da arquibancada, mais umas "ondas", deu 20:00 hrs, hora do “esquenta...  Gente, Sepultura É legal, o fato de eles serem a banda de abertura foi um bônus gigantesco ao show do Metallica!!! Eles também já tocaram nos mesmos festivais diversas vezes e a gente sabe são meio trutas, por isso a decepção quando  James NÃO deu uma palinha no palco junto com eles, oh, well....
Realmente, ter ouvido “Arise” e “Roots Bloody Roots” ao vivo me deixou á toda novamente, o som estava meio ruinzinho, mas deu pra ouvir... Tinha gente lá que disse ter comprado a entrada só para ver o Sepultura, eu não fiquei surpresa, embora não seja necessariamente fanática pela banda, os caras mandam muito bem, mas nada se compra ao Metallica ( talvez Rammstein...) \m/
Teve uma hora que foi bem engraçado, o Andreas Kisser falou do nada :  "Estamos no estádio do melhor time do Brasil", eu concordo com ele, apesar das muitas vaias hauahuahau! Pô, o Metallica veio tocar no MEU estádio, dá licença.
Eu tinha levado meu binóculos, herança de meu avó, e fiquei ainda mais entusiasmada quando vi que conseguia ver muito bem o palco com ele.
Eram 22:10 hrs e o estádio já estava lotado, a Lua Cheia nos brindava com sua luz, a ansiedade pairava no ar, gritos de “Metallica” por todos os lados, o show de abertura havia deixado o público faminto pelo que mais queriam ver....
Quando chegasse a hora, todo mundo iria enlouquecer....




O SHOW !!!!  \m/


... E foi exatamente o que aconteceu quando o clássico tema de Enio Morricone, “The Ecstasy Of Gold”, começou a tocar...
James Hetfield, Kirk Hammett, Robert Trujillo e Lars Ulrich invadiram o palco, provocando na platéia uma reação impressionante, afinal, já fazia mais de 10 anos neh!!!.
A primeira música foi a excelente “Creeping Death”, do álbum “Ride The Lightning”, uma entre minhas favoritas!!! Não teve UM que ficou parado!
Hetfield ( muito lindo, muito simpático, muito tudo )  cumprimenta os 68 mil fãs. Sorriso colgate na carinha de todos os presentes hahauah...
Todas as músicas executadas pelo quarteto da Bay Área foram sublimes, a resposta dada pela platéia foi violenta e empolgante, “rodas” e “headbangers” surgiam por todo o Morumbi. Eu acompanhava tudo pelo tela de alta definição e com meu mini-binóculos...
A estrutura estava maravilhosa, não tenho como descrever nossa reação ao ser iniciado um espetáculo pirotécnico, com explosões simulando guerra, além de fogos de artifício e show de luzes.
E ficamos sabendo o set-list fodástico:

Creeping Death
For Whom The Bell Tolls
The Four Horsemen
Harvester Of Sorrow
Fade To Black
That Was Just Your Life
The End Of The Line
The Day That Never Comes
Sad But True
Broken, Beat and Scarred
One
Master Of Puppets
Blackened
Nothing Else Matters
Enter Sandman
- - - - - - - -
Stone Cold Crazy
Motorbreath
Seek and Destroy


Tá, lá estava eu mais duas amigas, cada uma com seus gostos, mas para mim, o ponto mais alto do show foi em  “Sad But True”, James disse que era dedicada aos amigos do Sepultura, agradeceu a todos ali, da ‘família Metallica’, que acompanharam a banda mesmo em seus maus momentos e que continuavam ali.
 Deixo claro que esta música é a minha preferida do Metallica por motivos pessoais, minhas amigas preferiram “ Master of Puppets”, “ Enter Sadman” e “Blackened”.
A gente teve uma surpresinha também.  Fingindo uma saída de palco, os caras voltam ao som da galera pedindo “Seek and Destroy”, James pergunta se a gente queria mesmo ouvir e o porquê , HAAAAAAA, que cruel!!! Finalmente, ele diz que  irão tocar , porque São Paulo merece…
 

Na saída, exaustas e felizes, me senti mais leve, com uma energia muito boa e capaz de realizar o que eu quisesse... Não sei porque tinha tanta viatura e polícia montada esperando que os servos do Metal seguissem para suas casas tranquilamente, como se fossemos sair correndo do estádio para destruir alguma coisa. Whatever, dude  ¬¬




Nenhum comentário: